Bebida produzida com qualidade no município e também na região, a cachaça coloca Ivoti como destaque nacional. De acordo com o estudo “A Cachaça no Brasil – Dados de Registro de Cachaças e Aguardentes”, realizado pelo Ministério da Agricultura, a cidade é a terceira maior com registros de produtos relacionados à bebida em todo País. Além disso, é a maior em toda região Sul. Isso significa que, mesmo com a predominância de estados como Minas Gerais e São Paulo em produção e registros, a Cidade das Flores ganha, por conta própria, espaço em todo Brasil.

Publicado no final do mês de maio, o relatório indica que Ivoti aparece com 89 registros do produto, ficando em terceiro na tabela, atrás de Belo Horizonte, com 134, e Salinas, com 124. O destaque fica ainda maior quando os dados observados por estados indicam que a maioria de registros estão em Minas Gerais, com 1.430. Na sequência aparece São Paulo, com 424, e Rio Grande do Sul, com 343. O que chama a atenção para a concentração de registros no município gaúcho.
Caminhando para crescer ainda mais

Com relação ao número de produtores, o estado gaúcho aparece em quinto lugar, com 49 fabricantes registrados. Neste item, Minas Gerais é o primeiro com 421 e São Paulo, com 126, em segundo. Em todo País, são 951 produtores de cachaça e 3.648 cachaças registradas.

Segundo o vice-presidente da Associação dos Produtores de Cana-de-Açúcar e seus Derivados no Rio Grande do Sul (Aprodecana RS), Paulo Ramos, Ivoti pode ser considerada a capital da cachaça no Estado. “Nacionalmente a cidade é conhecida como uma produtora de cachaça. Esse resultado posiciona e reforça o Estado, e também o município, como um grande destaque. Apesar da produção ser pequena, se comparada com outros estados, o nosso produto tem muita qualidade”, explica Ramos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Produtores locais comemoram

Atuando no mercado nacional e internacional, a Weber Haus, de Ivoti, tem 73 produtos registrados. Para o diretor Evandro Weber, a notícia foi recebida com emoção. “Trabalhamos há anos com a bandeira da cachaça nacional e é muito gratificante ver um resultado como esse. A nossa produção vai além da nossa marca e leva o nome da cidade para vários lugares. O resultado desse relatório nos coloca no mapa do agronegócio”, declara Weber.

Já o produtor Paulo Buchmann comemora a novidade. “Por muito tempo Minas Gerais era o único sinônimo de cachaça. Hoje outros estados já aparecem neste meio. Esse destaque da cidade entre os primeiros colocados é importante para mostrar ao País a qualidade do nosso produto”, destaca.